My Items

I'm a title. ​Click here to edit me.

ADUEMS organiza nota conjunta com representações sindicais e estudantis de MS

ADUEMS organiza nota conjunta com representações sindicais e estudantis de MS

O ano de 2022 começou embalado com indícios de uma nova onda de COVID-19, agora protagonizada pela variante ÔMICRON. Para piorar o cenário pandêmico, a propagação de desinformação no Brasil - especialmente daqueles que deveriam priorizar a vida e que tem a responsabilidade de liderar a nação -tem espantado o mundo. As universidades, espaço plural e onde a defesa da democracia sempre imperou, foram alvo de ingerência externa do governo brasileiro, que ao apagar das luzes de 2021 tentou silenciar a voz daqueles que estão preocupados com a saúde coletiva. Em Mato Grosso do Sul, a ADUEMS juntamente com todas as representações sindicais e estudantis publicam hoje uma nota de solidariedade às Universidades Federais de outros estados que assumiram, pela voz dos seus Conselhos Universitários, uma postura firma quanto a necessidade do passaporte vacinal - nos limites legais da autonomia universitária! A nota pode ser lida aqui

 "Natal Feliz" na comunidade Nhu Vera Guassu

"Natal Feliz" na comunidade Nhu Vera Guassu

A ADUEMS e a Regional Pantanal/ANDES realizam ação “Natal Feliz” na aldeia Nhuveraguassu, com organização das lideranças locais, Laurentino, Tiago e Juliene. Mais de 250 crianças participaram da atividade festiva na tarde desta quinta-feira (23/dez), que contou com lanche e refrigerante adquirido com doação de filiados da Aduems e do projeto @salvedourados. Além disso, a Regional Pantanal do ANDES articulou a compra de presentes que fizeram a alegria da criançada. “O sorriso estampado em cada um que ganhou sua bola, boneca ou carrinho foi o presente mais valioso do dia”, segundo descreveu o Prof. Dr. Esmael Machado, presidente da ADUEMS.

Em primeira ação da nova gestão, ADUEMS e MST distribuem cestas básicas em terra indígena

Em primeira ação da nova gestão, ADUEMS e MST distribuem cestas básicas em terra indígena

A ADUEMS e o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) distribuíram, nesta quarta-feira (22 de dezembro), 190 cestas básicas na Terra Indígena Bororó e em áreas de retomada, em Dourados. A ação faz parte da campanha “Natal Sem Fome”, do MST, que visa entregar alimentos produzidos por cooperativas agroecológicas do movimento a populações em vulnerabilidade. O presidente da ADUEMS, professor Esmael Machado, esteve na distribuição junto ao coordenador do MST em Dourados, Dinho Lopes. Uma equipe de parceiros/as do Sindicato, do grupo Salve Dourados, participou da logística e da distribuição. Estiveram presentes Cássio de Brito e Rogério de Lima Gamarros, membros do grupo. A intervenção social faz parte de um compromisso de campanha da nova gestão, que pretende aumentar o diálogo do Sindicato com a sociedade, criando uma rede de solidariedade. “É um projeto de ampliar a participação do sindicato”, destaca Esmael. O Conselho Indigenista Missionário (CIMI) participou da logística do transporte. Nesta quinta-feira (23), será realizada uma distribuição de brinquedos para crianças da aldeia Jaguapiru, também em Dourados. A ação foi coordenada pelo Sindicato Nacional dos Docentes em Educação Superior (ANDES) e contará com a presença do professor Esmael e do vice-presidente da ADUEMS, professor Emerson Canato. A entrega de cestas tem ocorrido desde o dia 10, com distribuição em terras indígenas e áreas de retomada da região sul do estado, como é o caso da área Guyra Kambi’y, em Douradina. O grupo Salve Dourados disponibilizou transporte para o traslado dos alimentos. Nova gestão A ADUEMS realizou Assembleia Geral no dia 10 de dezembro, já sob gestão da Diretoria eleita para o biênio 2022/2023. A pauta foi dedicada à apresentação das atividades realizadas ao longo dos dois anos de mandato da gestão anterior, em que a professora Dra. Cássia Barbosa Reis presidiu o sindicato. Além da exposição oral dos principais pontos na jornada, foi compartilhado um relatório, contendo os detalhes de cada ação realizada pela Diretoria ao longo dos anos de 2020 e 2021 (anexo ao fim da matéria). Mais de 50 filiados participaram da reunião, que contou também com representantes da classe política e sindical de Mato Grosso do Sul. Participaram como convidados o deputado federal Dagoberto Nogueira (representado pela sua assessoria); os deputados estaduais Pedro Kemp e Renato Câmara (representado pela sua assessoria); a secretária de Educação de Dourados, Ana Paula Benites Fernandes (representando o prefeito Alan Guedes); o presidente da Câmara Municipal de Dourados, Laudir Munaretto; os vereadores Juscelino Cabral e Sergio Nogueira (representado pela sua assessoria); o presidente da Associação Campograndense de Professores (ACP), Lucílio Nobre; o presidente do Sindicato dos Bancários de Dourados, Carlos Longo; a representante regional da Central Única dos Trabalhadores (CUT), Gleice Jane e Inio Roberto Coalho, conselheiro da Associação Comercial de Dourados (ACED). A sessão foi presidida pelo professor Emerson Canato, vice-presidente da ADUEMS, substituindo o presidente, professor Esmael Machado. Ao iniciar os trabalhos do dia, a Diretoria do Biênio 2021/2023 fez a recepção de 16 novos filiados à ADUEMS, reafirmando seu compromisso com uma política de expansão da base de associados. Sede da ADUEMS A sessão do dia 10/12 fica marcada como a primeira Assembleia Geral na sede própria da ADUEMS, que prestes a completar 25 anos de fundação, presenteou seus filiados com a entrega da primeira etapa da construção. Foi a primeira reunião presencial do sindicato desde as medidas de isolamento implementadas por conta da pandemia de COVID-19. Os presentes na sessão aproveitaram o momento para conhecer a estrutura do prédio, que possui três andares e conta com 900 metros de área construída. O presidente lembrou que “em função de denúncia anônima contra a presença da sede da ADUEMS ocupando uma sala de 15 metros quadrados na sede da UEMS em Dourados, o Ministério Público Estadual abriu ação civil pública que culminou na penalização do sindicato em mais de 30 mil reais, ainda no início do seu mandato para o biênio 2018/2019”. Assim, segundo relata o professor Esmael Machado, “a ADUEMS deu início a construção da sua primeira sede própria, que será símbolo de autonomia e resistência do sindicato e da luta de todos os trabalhadores de Dourados e região, por isso mesmo, a Diretoria que agora inicia o mandato de dois anos se empenhará para concluir a construção antes de finalizar seu mandato”. De acordo com estimativas apresentadas pelo engenheiro responsável pela construção, Álvaro de Jesus, a ADUEMS precisará investir cerca de 50 mil reais. Ele ainda destaca que “o sindicato já valorizou em mais de 50% o seu patrimônio, ao fazer a escolha pela construção, pois a mesma obra atualmente custaria mais de 3 milhões de reais”.

PL que corrige distorções na carreira docente é aprovado na segunda votação

PL que corrige distorções na carreira docente é aprovado na segunda votação

Conquista é resultado de negociações da ADUEMS junto à SED, reitoria e parlamentares O Projeto de Lei 351/2021, que corrige distorções no Plano de Cargos e Carreiras (PCC) da UEMS, foi aprovado por unanimidade em segunda sessão na Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul, nesta terça-feira (14 de dezembro), e consolidou uma conquista conjunta das gestões atual e anterior da ADUEMS. O sindicato vinha reivindicando junto ao governo desde agosto, quando foi constituída a Comissão de Negociação Salarial, durante assembleia da entidade. O presidente da ADUEMS, professor Dr. Esmael Machado, destaca a importância do sindicato na aprovação da Lei. “É uma conquista com o DNA da ADUEMS”, pontua. A Comissão se reuniu quatro vezes com a Secretaria de Administração e Desburocratização (SAD) desde o início das negociações, além de buscar apoio de parlamentares, como foi o caso do deputado federal Dagoberto Nogueira (PDT-MS), que acompanhou a ADUEMS no diálogo com a secretaria. Além de Esmael, compuseram a comissão os professores Volmir Cardoso Pereira e Cássia Barbosa Reis, respectivamente vice-presidente e presidenta à época. Primeiramente, o PL passou pela Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJR). Na primeira votação, que ocorreu no dia 9 de dezembro, o projeto foi aprovado por unanimidade na primeira votação plenária e seguiu para segunda discussão, no dia 14, na qual novamente houve aprovação unânime por parte dos parlamentares. A partir da aprovação do Projeto de Lei pelos Deputados Estaduais, todos os docentes efetivos que estão em exercício na UEMS poderão optar pelo Regime de Trabalho em Tempo Integral, com Dedicação Exclusiva (TIDE), que teve limite de vagas ampliado para 50% do quadro de vagas previsto na Lei 2230/01. A aprovação representa, desta forma, uma conquista histórica para a ADUEMS e para docentes da universidade. Outro ponto de suma importância para valorização do trabalho docente foi a regulamentação das condições para ascensão ao Nível VI da carreira Docente, último patamar da carreira e que desde 2002 estava inacessível. Agora, a experiência acadêmica dos professores que esperaram por tantos anos finalmente será reconhecida.

Em primeira votação, parlamentares aprovam PL que valoriza carreira docente na UEMS

Em primeira votação, parlamentares aprovam PL que valoriza carreira docente na UEMS

PL 351/2021, de autoria do governo estadual, aumenta 10% das vagas para TIDE Foi aprovado nesta quinta-feira (9 de dezembro) o Projeto de Lei 351/2021, por 21 votos favoráveis e nenhum contrário, na Sessão Plenária da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul (Alems). O PL, que dispõe sobre a reorganização do Plano de Cargos e Carreiras (PCC) de servidores/as da UEMS e é resultado das negociações da Aduems com o governo estadual, havia sido aprovado pela Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJR) e vai à segunda discussão na sexta-feira (10 de dezembro), com eventuais propostas de emenda. A presidenta da Aduems, professora Dra. Cássia Barbosa Reis, chama a atenção para a importância da aprovação do projeto na Comissão, mas lembra que a luta ainda não acabou, pois a segunda discussão ocorre na sexta-feira (9 de dezembro), às 9h. “Esta é a etapa final de um processo difícil de negociações com o governo do estado, no qual fizemos cinco demandas”, aponta. “Consideramos uma vitória parcial o encaminhamento de duas delas. Importante ressaltar que contamos com a sensibilidade dos deputados na aprovação deste projeto de alteração da lei para corrigir essas distorções na carreira docente, mas que continuaremos na luta pelos direitos dos trabalhadores em educação e, em particular, pelos filiados da Aduems”, finaliza Cássia. A sexta-feira (10 de dezembro) é o prazo máximo para apresentação de emendas que, caso propostas, farão parte da segunda discussão e votação. Na segunda-feira (13 de dezembro), haverá a emissão e a votação do parecer, realizada pelas comissões que analisarão o mérito do PL. Na terça-feira (15), ocorre a Sessão Ordinária com segunda discussão e votação da Sessão Plenária. A apresentação da redação final está marcada para a próxima quarta-feira (15 de dezembro). O que muda A partir da aprovação do Projeto de Lei pelos Deputados Estaduais, todos os docentes efetivos que estão em exercício na UEMS poderão optar pelo Regime de Trabalho em Tempo Integral, com Dedicação Exclusiva (TIDE), que teve um aumento de 100% na quantidade de vagas de docentes efetivos que a UEMS pode ter. A aprovação representa, desta forma, uma conquista histórica para a Aduems e para docentes da universidade. Outro ponto de suma importância para valorização do trabalho docente foi a regulamentação das condições para ascensão ao Nível VI da carreira Docente, último patamar da carreira e que desde 2002 estava inacessível. Agora, a experiência acadêmica dos professores que esperaram por tantos anos finalmente será reconhecida. Vídeo da votação na Sessão Plenária: Confira o texto do projeto na íntegra:

Professora que perdeu irmão para Covid alerta sobre importância da vacina e das medidas de proteção

Professora que perdeu irmão para Covid alerta sobre importância da vacina e das medidas de proteção

Giuliana de Faria, dos cursos de Administração Pública e Turismo na UEMS, fala sobre a negligência do governo e a necessidade dos cuidados para evitar a Covid A professora Dra. Guiliana Mendonça de Faria, que leciona nos cursos de Administração Pública e de Turismo da UEMS, tem se posicionado contra o negacionismo do governo Jair Bolsonaro em relação à Covid-19 e alertado as pessoas sobre a necessidade de tomar a vacina, sobretudo depois que perdeu seu único irmão, Luiz Maurício de Faria, 48, devido à doença, em julho. Nos atos contra Bolsonaro e durante sua vacinação, Giuliana levou cartazes lembrando o fato. “Meu irmão tinha 48 anos, praticava esportes, estava fazendo tratamento com uma nutróloga, tinha emagrecido, estava mantendo uma vida saudável. Ele morava em Ribeirão Preto, estado de São Paulo”, explica Giuliana, alertando que não só pessoas que se enquadram nos chamados “grupos de risco” ou com comorbidades estão sujeitas à morte pelo coronavírus. Giuliana também destaca um problema recorrente que costumava ocorrer principalmente no momento anterior à chegada das vacinas: a prescrição, por parte de profissionais da saúde, de medicamentos ineficazes contra a doença. “Ele voltou na Unimed, deram para ele a higromicina, ivermectina e mais um monte de remédios. Deram o tal do kit do Bolsonaro, que ele era totalmente contra, não acreditava, mas na hora do desespero, eu acho que a gente faz qualquer coisa”, aponta. “Ele queria muito vacinar, tinha muito medo de pegar Covid”. Ela lamenta também a interrupção dos sonhos de seu irmão, que vinha conquistando vários objetivos em sua vida. “Dois filhos pequenos, um empreendedor de sucesso, estava há quatro ou cinco anos com a empresa dele. Crescendo a cada dia mais e muito bem estabilizado, já estava começando um outro negócio, um outro empreendimento. Uma vida inteira pela frente e vem dessa maneira estúpida, essa doença”. Giuliana chama também atenção para a atuação de Bolsonaro, que favoreceu o cenário de mais de 600 mil pessoas mortas. “É um absurdo um presidente da República participar de aglomerações, não usar máscara, rir das pessoas, imitar nas lives as pessoas agonizando por falta de ar. Meu irmão ficou entubado, teve oxigênio, mas imagina as pessoas que não tiveram acesso a isso”. Por Norberto Liberator (Assessoria de Comunicação - ADUEMS)

Aduems e Comitê de Defesa Popular transmitirão 'Marighella' em Dourados

Aduems e Comitê de Defesa Popular transmitirão 'Marighella' em Dourados

Exibição do longa de Wagner Moura ocorre na próxima terça, véspera de feriado municipal A Aduems, junto a outras entidades sindicais e movimentos sociais que formam o Comitê de Defesa Popular, promove na próxima terça-feira (7 de dezembro) a transmissão do filme “Marighella”, do diretor Wagner Moura, em Dourados. O evento ocorrerá a partir das 18h30 e a exibição será iniciada às 20h, na sede da Associação dos Docentes da UFGD (AdufDourados), na Rua Passo Fundo, 290. Para participar, será necessário preencher um formulário online (disponível aqui) até a véspera da transmissão, ou seja, segunda-feira (6 de dezembro). A organização sugere que seja levado um quilo de alimento não-perecível, que será distribuído a famílias em situação de vulnerabilidade. Na entrada, os/as espectadores/as deverão apresentar um documento com foto, além do comprovante das duas doses ou dose única da vacina contra a Covid-19. O uso de máscaras será obrigatório dentro do espaço, durante a sessão. O filme “Marighella” marca a estreia do ator e ativista Wagner Moura como diretor de cinema. Com roteiro do próprio Wagner e de Felipe Braga, a produção teve lançamento mundial durante o Festival de Berlim, em 2019. O filme rendeu o prêmio de melhor ator para Seu Jorge, que interpreta o personagem principal, no Festival de Bari, na Itália, e no Festival Internacional da Índia. O longa conta a história do guerrilheiro Carlos Marighella, baseado no livro “O Guerrilheiro que Incendiou o Mundo”, do jornalista Mário Magalhães. Político, poeta e escritor, o protagonista foi deputado federal eleito pelo estado da Bahia e, durante a ditadura militar-empresarial brasileira, passou a ser um dos líderes da luta armada contra o regime, até ser morto em uma emboscada, no dia 4 de novembro de 1969. Além da atuação premiada de Seu Jorge, o filme também conta com outras atuações muito elogiadas pela crítica nacional e internacional, como a de Bruno Gagliasso, que interpreta um delegado e torturador a serviço da ditadura, além de Humberto Carrão e Bella Camero, que representam membros da Aliança Libertadora Nacional (ALN), grupo do qual Marighella fazia parte. Clique aqui para mais informações

Governo valoriza carreira docente da UEMS ao propor PL com demandas da categoria

Governo valoriza carreira docente da UEMS ao propor PL com demandas da categoria

Na tarde desta quarta-feira, 24 de novembro, a Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul recebeu Projeto de Lei (PL) que representa um significativo avanço para a carreira docente na UEMS. Trata-se de projeto de iniciativa do Governador Reinaldo Azambuja, que demonstrou respeito com os representantes sindicais da ADUEMS e com toda categoria docente da Universidade. Cabe destacar também a atuação do Secretário de Estado de Infraestrutura, Eduardo Riedel, juntamente com a Secretária Ana Nardes e sua equipe da Secretária de Administração e Desburocratização (SAD) que, depois de ouvir a comissão de negociação da ADUEMS, se dedicaram a buscar entendimento para solucionar distorções no Plano de Cargos e Carreiras (PCC) dos docentes da UEMS. A partir da aprovação do Projeto de Lei pelos Deputados Estaduais, todos os docentes efetivos que estão em exercício na UEMS poderão optar pelo Regime de Trabalho em Tempo Integral, com Dedicação Exclusiva (TIDE), o que será uma conquista histórica para a ADUEMS e todos os professores da universidade. Outro ponto de suma importância para valorização do trabalho docente foi a regulamentação das condições para ascensão ao Nível VI da carreira Docente, último patamar da carreira e que desde 2002 estava inacessível. Agora, a experiência acadêmica dos professores que esperaram por tantos anos finalmente será reconhecida. O professor Esmael Machado, membro da comissão de negociação com o governo, destaca o papel articulador da comissão, constituída pela ADUEMS: “a comissão priorizou a ampliação de direitos na negociação e buscou diálogo e apoio político para que essa construção fosse possível. Em especial, agradecemos o Deputado Federal Dagoberto Nogueira, que foi um grande parceiro dos professores e merece o reconhecimento de toda categoria pela atuação junto ao Governador Reinaldo Azambuja, corroborando nossas demandas para corrigir distorções de carreira que perduravam há quase 20 anos”. O prof. Volmir Cardoso, atual vice-presidente da ADUEMS, menciona ainda que “o apoio e o empenho do reitor, prof. Laércio, foi também muito importante para os resultados positivos na negociação, pois demonstramos unidade na defesa da categoria”. Agora, o projeto de Lei vai tramitar na ALEMS e a expectativa dos professores é que as alterações estejam vigentes a partir de 1º de janeiro de 2022. A Diretoria convida toda a categoria a acompanhar esse trâmite e enviará informações para que os docentes estejam presentes na ALEMS no dia da votação da matéria em plenário. A proposta enviada pelo Governador Reinaldo Azambuja pode ser conferida no arquivo abaixo. (Foto: Presidente da ADUEMS, Cássia Barbosa Reis, Secretário Adjunto da SAD, Édio Viegas, Presidente do SINTAUEMS, Ana Maria Rauber e Reitor da UEMS, Laércio Alves de Carvalho)

ADUEMS integra atos contra PEC 32 em Brasília

ADUEMS integra atos contra PEC 32 em Brasília

Manifestações seguem durante toda a semana Os atos em Brasília contra a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 32/2020, a chamada “Reforma Administrativa”, seguem ocorrendo ao longo desta semana. A ADUEMS está representada pela sua presidenta, a professora Dra. Cássia Barbosa Reis, que faz parte da comissão de coordenação das manifestações, realizada com revezamento semanal pelo Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições em Ensino Superior (Andes-SN). Iniciados na segunda-feira (22), com mobilização no Aeroporto Internacional Juscelino Kubitschek, na capital federal, os atos continuam nesta terça-feira (23) com manifestação em frente ao Ministério da Economia, em defesa da ciência e tecnologia. Em seguida, os militantes se mobilizaram em frente ao Anexo II da Câmara dos/as Deputados/as. “Vamos conversar com os deputados, os militantes estão com bastante ânimo”, destaca Cássia. O Sindicato dos Servidores do Poder Judiciário (Sindjus) e o Sindicato dos Servidores do Poder Legislativo Federal e do Tribunal de Contas da União (Sindilegis) do Distrito Federal distribuíram mini-garrafas com sucos de laranja, em cujas embalagens leem-se pedidos para que os parlamentares não atuem como “laranjas” e votem contra a PEC 32. Na quarta-feira (24), a concentração ocorrerá às 9h no Espaço do Servidor, seguindo em marcha em frente ao Congresso Nacional. No mesmo dia, às 14h, a mobilização será em frente ao Anexo II da Câmara, com visita aos gabinetes dos/das deputados/as. Na quinta-feira (25), durante a manhã e a tarde, as atividades continuarão no Anexo II e com visitas aos gabinetes. Na sexta-feira (26), haverá avaliação dos atos e elaboração do relatório por parte da Comissão Nacional de Mobilização.

Nota do ANDES-SN em solidariedade às/aos funcionários/as do INEP

Nota do ANDES-SN em solidariedade às/aos funcionários/as do INEP

A diretoria do ANDES-SN declara apoio à(o)s funcionário(a)s que pediram exoneração de cargos do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira-INEP que, às vésperas da realização do Exame Nacional do Ensino Médio – ENEM/2021, manifestaram seu descontentamento com a atual administração da instituição que reflete a política imposta pelo atual governo brasileiro. Tal fato, ocorrido no INEP, corrobora com as recorrentes denúncias feitas pelo ANDES-SN no que concerne às práticas nefastas do governo Bolsonaro, especialmente aplicadas nas instituições ligadas à Educação do Brasil, entre as quais os constantes cortes nos orçamentos das instituições públicas educacionais que comprometem e inviabilizam seus funcionamentos. Entendemos que a ação desses/dessas funcionário(a)s constitui um clamor para que o conjunto da sociedade perceba as ameaças ao andamento das ações do INEP, principalmente quanto à realização do ENEM que se avizinha, previsto para os dias 21 e 28 de novembro de 2021. Declaramos nosso apoio à(o)s funcionário(a)s exonerado(a)s e ao INEP. Precisamos defender a educação e todas as instituições públicas do país que são patrimônio da sociedade brasileira. Todo apoio à(o)s funcionário(a)s exonerado(a)s do INEP! Em defesa da Educação e das Instituições públicas educacionais do Brasil! Viva a Ciência! Fora Bolsonaro e Mourão! Diretoria do ANDES-SN

Governo propõe reajuste de 10% a servidores e acolhe proposta da Aduems sobre carreira

Governo propõe reajuste de 10% a servidores e acolhe proposta da Aduems sobre carreira

Nesta terça-feira, 16, representantes da ADUEMS e de outras entidades sindicais estiveram presentes na apresentação do Projeto de Lei 328/2021, feita pelo governador Reinaldo Azambuja (PSDB) à Assembleia Legislativa. Azambuja levou as tabelas de subsídios e vencimentos-base dos servidores estaduais, a serem implementadas a partir de janeiro de 2022. Além do protocolo do PL, o governador dialogou com o presidente da Assembleia Legislativa de MS, deputado Paulo Corrêa (PSDB), e fez uma breve fala aos representantes sindicais presentes no ato. A ADUEMS esteve representada pela presidente, professora Dra. Cássia Barbosa Reis; pelo vice-presidente, Dr. Volmir Cardoso Pereira; além de outros filiados. O reitor da UEMS, professor Dr. Laércio Alves de Carvalho, também participou. Em apresentação do Projeto, o governador destacou as dificuldades do governo em reajustar os salários, tendo em vista o limite prudencial e a Lei de Responsabilidade Fiscal, alegando que a administração não estaria em boas condições financeiras para tal. Azambuja ainda salientou que, com a melhora econômica do último ano, a arrecadação melhorou e isso permitiu que o reajuste ocorresse. Em geral, os 81 mil servidores de Mato Grosso do Sul terão reajuste geral de 10% nos salários, tanto para ativos quanto inativos (com integralidade e paridade), a partir de janeiro de 2022. Há também, conforme o governador, a incorporação do abono nas tabelas salariais. O abono foi implementado pelo governo estadual em 2017. O governador apresentou ainda a demanda de 15 Projetos de Lei que serão encaminhados na sequência, visando à reestruturação de diversas carreiras do funcionalismo estadual. Conquistas da ADUEMS Além dos 10% de reajuste salarial para 2022, a ADUEMS obteve êxito nas demandas da categoria por correção de distorções na carreira. Conforme acordado com o governo estadual, contando com apoio direto da reitoria da UEMS às demandas da Associação, as vagas de Tempo Integral e Dedicação Exclusiva (TIDE) serão ampliadas para 50% dos cargos de docentes efetivos no Plano de Cargos e Carreiras e o Nível VI será modificado no texto, não prevendo mais a abertura de concurso para ascender a ele, sendo implementado por tempo de serviço, após o docente permanecer por cinco anos no nível V, e pela realização de projetos na Universidade. Segundo o vice-presidente da ADUEMS, prof. Volmir, “a ampliação das vagas de TIDE garantirá que todos os docentes da UEMS, hoje, possam acessar esse regime de trabalho, especialmente os que estão saindo do estágio probatório. Queríamos a universalização, mas ao menos conseguimos resolver o problema no curto e médio prazo". Volmir também destaca as mudanças no nível VI. Quanto ao nível VI, conseguimos a garantia de que todos os docentes poderão acessá-lo sem precisar passar por novo concurso. Garantir esses direitos é uma forma de se preservar a justa remuneração dos professores, pois apesar do reajuste geral, acumulamos quase 40% de perdas salariais desde 2015”. Ao avaliar o cenário das negociações com o governo, a presidente da ADUEMS, professora Dra. Cássia, destaca que “as negociações iniciaram-se com a comissão apresentando as demandas discutidas nos GT para tentar corrigir as distorções da carreira. Duas das principais demandas foram encaminhadas para a Alems, que esperamos seja aprovada, entretanto continuaremos as tratativas para que tenhamos êxito nas mudanças necessárias”. Cássia relembra ainda a necessidade de se continuar a pautar as reivindicações da categoria. “Ter alguma reposição é importante, mas temos que lutar para não acumular mais perdas. E, principalmente, lutar para que as discussões resultem em acordos em tempo de aprovação na AG e não ficarmos reféns de surpresas como aconteceu hoje com este anúncio-show”. A nova tabela salarial dos docentes da UEMS, prevista para ser implementada em janeiro de 2022 é a seguinte: (PL 328/21, p. 39) A sessão de entrega do Projeto de Lei na Assembleia Legislativa pode ser conferida aqui. O Projeto de Lei 328/21 pode ser acessado abaixo:

Aduems, SAD e Reitoria avançam em negociações sobre planos de cargos e carreiras

Aduems, SAD e Reitoria avançam em negociações sobre planos de cargos e carreiras

Diretoria se reuniu com secretária e reitor A diretoria da Aduems se encontrou com a secretária de Administração e Desburocratização de Mato Grosso do Sul, Ana Nardes, para apresentar demandas da categoria. Representando o sindicato, estiveram presentes a atual presidente, Cássia Barbosa Reis; o atual vice-presidente, Volmir Cardoso Pereira; e o presidente eleito, Esmael Machado, que faz parte da Comissão de Negociação Salarial. Também participou da reunião o reitor da UEMS, Laércio Alves de Carvalho. Esta foi mais uma rodada de negociação para corrigir distorções no Plano de Cargos e Carreiras (PCC) e visa alterar a Lei 2230/2001, que dispõe sobre o assunto. Foi entregue à secretária uma proposta de minuta para correção emergencial da carreira docente (ofício 036/2021 em anexo). Em relação ao Tide, o documento pede que se assegurem dois terços dos cargos de professor para o regime de 40 horas semanais de trabalho, em dedicação exclusiva. A proposta da ADUEMS é que, para progredir ao Nível VI, o docente acumule pós-graduação obtida em programa de doutorado, cinco anos de efetivo exercício no Nível V e tenha coordenado projeto de ensino, pesquisa e/ou extensão na UEMS.