Nota de repúdio às declarações negacionistas do presidente do TJ-MS

Carlos Eduardo Contar condenou medidas de isolamento social, atacou a imprensa e defendeu uso de medicamentos sem eficácia

O Fórum Estadual Vacina Para Todos, que reúne mais de 40 entidades, vem a público repudiar as declarações do novo presidente do Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul (TJMS), Carlos Eduardo Contar, acerca da pandemia do novo coronavírus. Durante o seu discurso de posse, o desembargador condenou as medidas de isolamento social, atacou a imprensa e defendeu o uso de medicamentos que compovadamente não possuem eficácia no tratamento da Covid-19. Isso tudo em um evento que reuniu 300 pessoas no Centro de Convenções Rubens Gil de Camillo, na Capital.

Carlos Eduardo Contar criticou indignado a cobertura jornalística sobre a doença, cujo número de casos no Brasil já ultrapassa a espantosa marca de 8 milhões, bem como as recomendações das autoridades de saúde para o período, se referindo a elas como um “louvor ao morticínio”. Ao defender a volta ao trabalho presencial, o desembargador declarou aos presentes que “deixemos de viver conduzidos como rebanho para o matadouro daqueles que veneram a morte, que propagandeiam o quanto pior melhor”.


Além disso, Contar chamou de inadmissível o “combate leviano e indiscriminado a medicamentos que, se não curam, podem ajudar na prevenção ou diminuição do contágio”, referindo-se ao polêmico tratamento precoce defendido reitederamente pelo presidente da república. Na verdade, há evidências sólidas através de estudos científicos de que tais medicações não são eficazes nem no tratamento nem na prevenção da doença, e podem causar efeitos colaterais graves. Portanto, a propagação desmesurada deste tipo de tratamento é extremamente perigosa e pode culminar em automedicação e danos à saúde.


Com essa postura, o novo presidente do TJMS tenta desqualificar o combate à pandemia e minimizar a tragédia que o País vive. Na verdade, a fala de Contar faz coro à onda negacionista e obscurantista, que parte do governo federal e seus seguidores, no momento em que a sociedade brasileira se enche de esperança, com a chegada da vacina.


“É lamentável que uma declaração dessa parta de um representante do Judiciário, de quem se espera bom senso. De uma autoridade que deveria dar o exemplo, e se solidarizar ao sofrimento da população, apoiando as medidas de combate à doença. Vivemos tempos sombrios, mas vamos continuar na luta em favor da vacina para todos, e das medidas para conter a disseminação da Covid”, ressaltou Walter Gonçalves Filho, presidente do Sindicato dos Jornalistas de Mato Grosso do Sul (Sindjor-MS), uma das entidades integrantes do Fórum Vacina Para Todos.


“Como servidor público, não é admissível que o desembargador dissemine ideias negacionistas que o mostram como o verdadeiro ‘venerador da morte’. Estamos lutando pela verdade e pelo direito à saúde integral conforme art. 196 da Constituição Federal. Isso sim deveria ser ferozmente defendido pelo presidente do TJMS e por todos os brasileiros”, complementou Cassia Reis, presidente da Associação dos Docentes da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (ADUEMS), também integrante do Fórum.


Quem somos

O Fórum Estadual Vacina Para Todos reúne 49 entidades de Mato Grosso do Sul - sindicatos, centrais sindicais, associações, conselhos, movimentos sociais e partidos políticos - empenhados na luta pela vacinação ampla, imediata e irrestrita contra a Covid-19 através do Sistema Único de Saúde (SUS). O manifesto oficial do Fórum pode ser conferido no link: http://bit.ly/3iwcuxl.