Contra intervenção e em defesa de cursos indígenas, estudantes ocupam reitoria da UFGD

Aduems visitou a ocupação em solidariedade a luta dos estudantes!





A ocupação da reitoria da UFGD (Universidade Federal da Grande Dourados) segue nesta sexta-feira (10). O movimento contra a extinção da Faind (Faculdade Intercultural Indígena) é realizado pelos acadêmicos do curso de Leduc (Licenciatura em Educação do Campo), que também pedem o fim do processo intervencionista na instituição.


Desde a última quinta-feira (10), um grupo de acadêmicos da Leduc estão acampados na instituição. Com faixas, cartazes e colchões espalhados pelos corredores da reitoria, os manifestantes afirmam que a decisão já vinha sendo conversada há algum tempo.


O curso funciona em regime de alternância, ou seja, um período deve ser cumprido na universidade e outro com aulas práticas na comunidade. Contudo, a universidade não está conseguindo garantir esses direitos. Além disso, não há nenhuma solução concreta para o impasse.



Nesta sexta-feira (10) o presidente da Aduems (Sindicato dos Docentes da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul), Professor Esmael Machado, o Vice-presidente Emerson Canato Vieira, a Professora Adma Cristhina Salles Oliveira e o Professor Milton Pinheiro, presidente em exercício do ANDES-SN (Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior), estiveram na ocupação em solidariedade aos alunos e ao momento de retirada de direitos, recursos e autonomia das universidades públicas.


A ocupação é uma iniciativa dos próprios acadêmicos, que estão exercendo seus direitos enquanto cidadãos e enquanto acadêmicos de uma instituição pública. Nos somamos a esta luta e esperamos que haja um entendimento para manter os cursos da FAIND em funcionamento, pois ambos têm grande impacto na qualidade de vida dos povos do campo e indígenas de Mato Grosso do Sul.