Aumento de casos de Covid em Dourados evidencia negligência da Prefeitura

Com mais de 750 casos e sem políticas adequadas, cidade é a mais atingida pelo novo coronavírus


Dourados é o novo epicentro dos casos de contaminação pelo novo coronavírus em Mato Grosso do Sul, de acordo com boletim divulgado pela Secretaria de Estado de Educação (SES) no último domingo (7). De acordo com o documento, o estado tem 121 novos casos notificados de Covid-19, sendo que 78 deles estão na cidade. No total, o número oficial de infectados é de 2.253 – 756 deles em Dourados.


O aumento de casos da doença escancara o descaso da gestão de Délia Razuk, na Prefeitura de Dourados, para com os trabalhadores da cidade. Ainda no primeiro mês da pandemia, no dia 31 de março, o Comitê de Defesa Popular de Dourados – formado por diversas entidades sindicais e movimentos sociais, incluindo a Aduems – enviou um documento assinado por mais de 40 entidades e sindicatos, pedindo ao poder público a implantação das medidas de distanciamento social indicadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS).


O pedido foi enviado à Prefeitura, à Câmara dos Vereadores e ao Ministério Público Estadual de Mato Grosso do Sul (MPE-MS). Com base no documento, o MPE recomendou que a Prefeitura não reabrisse o comércio, mas o documento não foi respondido e nem foi considerado.


O Comitê enviou também, no dia 23 de abril, mais um documento, no qual pedia que os trabalhadores tivessem representação no Comitê de Gerenciamento de Saúde Pública (COGE). O pedido foi ignorado e, após ofício do MPE, se pronunciou negando a participação das entidades sindicais no COGE, embora o mesmo órgão formado pela gestão municipal conte com representantes da Associação Comercial de Dourados (ACED).


Também não há representação indígena, mesmo sendo esta a população mais afetada e uma das mais vulneráveis ao vírus. Dourados possui a maior reserva indígena do Brasil, a Jaguapiru-Bororó, onde vivem cerca de 17 mil pessoas, além de aproximadamente 1,2 mil que vivem em áreas não demarcadas.


A grande maioria dos casos tem como epicentro o frigorífico da empresa JBS Foods Seara. De acordo com o Ministério Público do Trabalho de Mato Grosso do Sul (MPT-MS), nesta segunda-feira (8) o número de trabalhadores da fábrica com diagnóstico positivo era de 412. A Prefeitura de Dourados, no entanto, não impôs qualquer restrição à empresa.


O Comitê de Defesa Popular também lançou uma nota, inicialmente excluída pelo Facebook e pelo Instagram após denúncias em massa contra seu conteúdo, no qual repudia a omissão do poder público douradense. Confira aqui.