ADUEMS integra atos contra Bolsonaro em MS

Manifestações no dia 3 de outubro pediram impeachment, comida no prato e vacina no braço

No último sábado (3 de outubro) houve manifestações em todo o Brasil pelo impeachment de Jair Bolsonaro, convocadas por entidades sindicais, movimentos populares e organizações da juventude. Em Mato Grosso do Sul, os atos tiveram adesão da ADUEMS, que teve representantes nas mobilizações em Dourados e Campo Grande.


Na capital, o ato se concentrou na Praça do Rádio Clube às 9h e percorreu ruas do centro da cidade, acompanhado por uma carreata que saiu às 8h30 do Parque das Nações Indígenas. Cerca de 3 mil pessoas estiveram presentes, reivindicando vacina no braço e comida no prato. Os escândalos de corrupção revelados pela CPI da Covid, as mais de 599 mil mortes pelo novo coronavírus, o desemprego, o aumento dos preços nos alimentos e combustíveis, a tentativa de destruição dos serviços públicos via PEC 32 e os ataques aos povos indígenas e meio ambiente foram pautas levantadas pelos manifestantes.


Em Dourados, apesar de uma forte chuva, houve cerca de 100 manifestantes, dentre eles 70 indígenas, que protestaram contra a tese do Marco Temporal, em tramitação no Supremo Tribunal Federal (STF), que pode acabar com as demarcações de terras tradicionais. Também houve presença de um trio elétrico. “Era para vir um número maior, mas veio mais ou menos metade, devido à chuva. Teve chuva forte, inclusive tinha gente que queria cancelar o ato, então por isso foi um ato bastante expressivo, no meu modo de ver”, afirma o professor Dr. Marcelo Batarce, do curso de Matemática da UEMS.


Os atos fizeram parte de uma mobilização nacional contra o governo de Jair Bolsonaro, Hamilton Mourão e seus aliados, que contou com manifestações em todos os estados e no Distrito Federal, além de protestos em outros países, como em Portugal, Alemanha, Espanha, Estados Unidos e Itália.


Norberto Liberator (Assessoria de Comunicação - ADUEMS)