ADUEMS e Fórum Vacina para Todos fazem outdoors para pressionar por vacinação irrestrita

Fórum é formado por mais de 60 entidades sindicais e movimentos sociais

Iniciou-se, nesta semana, a instalação de outdoors do Fórum Estadual Vacina para Todos, do qual a ADUEMS faz parte, para pressionar pela vacinação irrestrita de todos os cidadãos sul-mato-grossenses. O primeiro deles foi instalado na BR-158, no município de Cassilândia, em um trecho com fluxo diário de cerca de 5 mil unidades de veículos de transporte ou carga.


O Fórum, que é formado por 62 entidades sindicais e movimentos sociais, reivindica, além da vacinação de toda a população, que o poder público siga as medidas de isolamento e distanciamento social sugeridas pela Organização Mundial da Saúde (OMS) enquanto a imunização em massa não é feita, além da manutenção e aumento de abrangência do auxílio emergencial.


Em seu manifesto, o Fórum exige:

● a recomposição dos orçamentos federal, estaduais e municipais da Saúde, sem a

submissão ao teto de gastos;

● o afastamento imediato do ministro da Saúde;

● a adequação e detalhamento do plano nacional de vacinação contra a Covid-19 com

ampliação dos grupos prioritários incluindo Agentes Comunitários de Saúde e de

Endemias (ACS e ACE), indígenas não aldeados, todas as pessoas com deficiência,

cuidadores de pessoas com deficiência, jovens em medidas socioeducativas, pessoas submetidas à vulnerabilidade socioeconômica, dentre outros.

● investimento necessário para adequação dos Centros de Produção de

Imunobiológicos da Fiocruz, Instituto Vital Brazil e Instituto Butantan, e outros;

● a recomposição das equipes de saúde através da abertura de concursos públicos,

uma vez que os profissionais de saúde estão sobrecarregados, milhares foram

acometidos pela Covid-19, e muitos morreram ou estão com sequelas;

● a suspensão das privatizações e terceirizações das ações e serviços de saúde, com

a estatização daqueles considerados essenciais e estratégicos ao interesse público

coletivo;

● a coordenação e o controle social sobre a execução do plano de vacinação, através

dos mecanismos já constituídos dos Conselhos de Saúde, com prioridade de

informações e participação aos membros dos fóruns de usuários do SUS;

● realização de campanhas contra a disseminação das notícias falsas sobre as

vacinas, pelos governos estaduais e municipais, com o objetivo de elucidar a

população sobre a importância das mesmas;

● investimento contínuo na qualificação dos profissionais de enfermagem que irão

manipular e aplicar a vacina;

● a prestação de informações transparentes e exatas para o conjunto da sociedade;

● políticas de sustentação dos empregos e da renda, especialmente retorno do auxílio

emergencial;

● permanente orientação à manutenção dos cuidados sanitários, com normas que

garantam o distanciamento social, inclusive com o retorno das aulas presenciais

somente após a imunização massiva.


Para ler o manifesto na íntegra, clique aqui.